• Selma Mello

APÓS MESES FECHADO O PAU POMBO VOLTARÁ A ABRIR PARA VISITAÇÃO

     .Uma celebração religiosa ministrada pelo Bispo da Diocese Dom Paulo Jackson marcará a abertura do Parque Ruber Van Der Linden – Pau Pombo

Uma Celebração Religiosa que será realizada no próximo dia 12 de setembro, as 9h, no Pau Pombo, irá marca o retorno das atividades no local. A celebração além de abençoar o público presente, também dará as boas vindas à Primavera- estação que tem início no dia 23 do mesmo mês.

          Em conversa exclusiva com o Portal Selmamello.com.br, o administrador do local, o Sr Ananias Rodrigues relata que algumas transformações foram realizadas no espaço: " os visitantes vão poder desfrutar de muito mais atrativos como Esculturas, miniaturas de Pontos Turísticos, Barraca do Beijo, Área de Gastrônomica e de Artesanato, Bar e Petiscaria, Casa de Barro, Viveiros, Palco Artístico, entre outros, não esquecendo a venda de mudas de plantas e árvores."

      Ainda de acordo com com o administrador, existe um grande empenho da primeira dama, Socorro Régis, em deixar tudo perfeito e com detalhes que se tornão grandes atrativos junto com o tradicional encontro musical e as belezas do lugar.

       A Prefeitura autorizou a reabertura da unidade que passará a funcionar das 09 às 17h, por se encontrar em uma área de baixo risco de transmissão da Covid-19, e envolver normas de comportamento, higiene e segurança, a fim de minimizar, ainda mais, os riscos de contágio pelo Coronavírus, a exemplo do uso obrigatório de máscara para entrar e permanecer no espaço, respeito às demarcações feitas na área para garantir o distanciamento social

     Para garantir o cumprimento das regras estabelecidas pelo protocolo, agentes da Guarda Civil Municipal estarão presentes na área do parque, trabalhando com abordagens de caráter educativo

       Após a cerimônia de boas vindas, um café da manhã será servido para as autoridades e visitantes.

O PARQUE


       O tradicional parque Pau Pombo, lugar onde ficava a sede da Companhia de Eletricidade de Garanhuns, cuidada pelo engenheiro e professor Ruber van Der Linden, que começou a idealizar um parque, já que o local servia pra descanso dos trabalhadores da Companhia de Eletricidade e passeio das famílias após uma cansativa semana de trabalho, hoje é referencia para o país, e um dos mais belos cartões postais da cidade das flores.

     Naquela época praticamente não se falava em temas ecológicos ou preservação ambiental. Porém, ainda que não fosse o objetivo principal do parque, ele criou uma cobertura vegetal pra proteger as nascentes de rios que saíam dali. A área foi, a bem da verdade, o primeiro lugar com características verdadeiramente ecológicas no interior do estado de Pernambuco. Conta-se que o lugar não teve um nome específico ao ser inaugurado, mas logo ganhou um “apelido”: Pau-Pombo. Isso seria uma alusão às árvores (pau) e aos pássaros que voavam pela região (pombo).

     Após a morte do seu criador, em 1949, a prefeitura resolveu que o parque se chamaria oficialmente “Ruber van der Linden”, mas “Pau Pombo” é como o local é conhecido e assim ficou. Com o crescimento e a urbanização da cidade, o parque acabou ficando bem pertinho do centro de tal modo que quem estiver na avenida principal ou em algum outro lugar no centro não encontrará maiores dificuldades pra acessar o parque. Ele fica ao lado da unidade do Sesc de Garanhuns.

Um conjunto de colunas remetendo ao estilo greco-romano, e um busto do engenheiro criador do espaço ecológico recebe visitantes. Na época de Linden, eram apenas as colunas com os dizeres “Serviço de água e luz de Garanhuns“.

     Muita coisa mudou desde o primeiro quarto do século XX até agora no parque mais famoso de Garanhuns.

A rede elétrica projetada pelo seu criador já foi substituída e outras modernidades foram implantadas, como uma maior cobertura de paralelepípedos pra a circulação das pessoas entre os canteiros. No local também funciona uma loja com variedades de plantas, caqueiras, vasos e adubos, além de lembrancinhas. Há todo um cuidado pra se manter a umidade e a temperatura. Os vendedores garantem que a grande parte das plantas vendidas ali se acostuma bem com as variações de clima que pode acontecer quando se leva uma mudinha pra outro lugar.

      Há outros ambientes no lugar. Mas quem não quiser andar pelo parque, pode simplesmente ficar sob a sombra das árvores, relaxando, lendo ou ouvindo música executadas por artistas local. Há também viveiros. Toda a área é muito tranquila, mesmo quando chegam mais pessoas.

      Praticamente não há árvores de frutas comuns, como mangueiras, por exemplo. Conta-se que isso foi feito pra que não se juntasse gente em certos locais do parque pra subir nas árvores ou atirar pedras pra tirar as frutas, como acontece ainda hoje com os pés de pitomba, por exemplo.

    Existem sim palmeiras e demais espécies cujos frutos servem de alimento pra os pássaros e outros animais como saguis, bichos-preguiças, pássaros, porquinhos da Índia, entre outros que habitam o parque.

Dados pesquisados na internet.

T

47 visualizações
Siga-nos para não perder nenhum post!
  • Instagram - White Circle
  • Blogger - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco

© 2020 SM by: Selma Mello

Garanhuns - Pernambuco